quarta-feira, janeiro 23, 2013

2014: A COPA JUNINA



Com a data escolhida para O Maior São João do Mundo em 2013 a Prefeitura de Campina Grande marcou dois gols com uma só bola.

Primeiro, corrigiu um erro comum nas edições anteriores.

Ao atrasar em uma semana a realização do evento, a PMCG possibilitou sua inserção no segundo mais importante período de férias do ano, que é o mês de julho. Antes, quando as férias começavam o São João de Campina acabava. Agora, temos pelo menos sete dias para atrair uma parcela completamente nova e diferenciada de público, formada por famílias e, principalmente, jovens estudantes que viajam nas férias de meio de ano.

Segundo, conseguiu alinhar perfeitamente o nosso São João com a Copa das Confederações, que acontecerá de 15 a 30 de junho e trará para o Brasil torcedores das oito equipes que disputarão a competição.

Só em Recife, a sede nordestina mais próxima de nós, jogarão Itália, Espanha, Japão, Uruguai e Taiti. Com o período definido pela prefeitura, o São João de Campina será opção de destino antes, durante e depois do campeonato.

Obviamente as pessoas PRECISAM SABER dessas possibilidades todas, então não adiantará de nada a data extremamente propícia se não for feito IMEDIATAMENTE um trabalho sério e competente de divulgação e atração de turistas com esses perfis para a nossa festa.

Também é interessante que estejamos prontos para recebê-los, então é bom ter cuidado na formatação da agenda de shows e eventos, para que os turistas tenham o que ver e viver, e estar com  – pelo menos – o inglês em dia.


O PRINCIPAL ALVO É A IMPRENSA

Mais importante ainda do que atrair os turistas que virão à Copa das Confederações, Campina precisará usar toda a sua competência para atrair ainda este ano para a nossa maior festa um público que poderá fazer toda a diferença para um grande boom do nosso São João em 2014: os JORNALISTAS.

Durante a Copa das Confederações, mais do que na bola, o olhar dos correspondentes internacionais vai estar no que há de bom para se fazer no Brasil quando ela não estiver rolando. Embora tenhamos sol o ano inteiro, é bom lembrar que a Copa do Mundo vai acontecer no nosso INVERNO e este não é exatamente o período de maior pico em nosso litoral.

Os jornalistas internacionais terão em suas pautas a obrigação de levar para seus países imagens, sons e textos dos lugares e eventos mais interessantes do Brasil durante a Copa do Mundo e o nosso São João estará acontecendo exatamente no período em que eles estarão aqui para produzir esse material. Só essa possibilidade de mostrar o evento “na vera” já é uma vantagem espetacular em relação aos demais eventos que acontecem em outros períodos e, no máximo, farão edições “fora de época” durante a copa.

Diante disso, é absolutamente imperativo que Campina Grande, apesar das atuais dificuldades enfrentadas pela prefeitura, tenha a possibilidade de se superar e consiga trabalhar de uma vez só a organização de duas edições d´O Maior São João do Mundo, pois do trabalho de bastidores e da articulação a ser realizada neste ano de 2013 depende o grande sucesso de nossa festa em 2014 e, mais do que isso, a possibilidade de finalmente e verdadeiramente internacionalizar o evento, fazendo com que no rastro da Copa o São João de Campina decole e permaneça na cabeça dos gringos durante muito tempo.

Para que tudo isso dê certo, além do imprescindível e já citado trabalho de articulação, será importantíssimo o planejamento, para que possa ser oferecido ainda este ano aos interessados o máximo de informações possíveis sobre a edição do ano que vem, que poderia, inclusive, manter a tendência de 2013 e acontecer de 12 de junho (dia em que se inicia a Copa do Mundo) até 13 de julho (data da final), quem sabe com a possibilidade de extensão de uma semana em caso de conquista do título pelo Brasil. Energia positiva e torcida não ia faltar.

Atrações já podem ser contatadas, eventos já podem ser agendados, estruturas já podem ser projetadas...

Campina precisa dar um show na Copa!

O Brasil inteiro está de olho no dinheiro dos turistas, mas só Campina Grande tem um evento realmente atraente, pronto, formatado e com estrutura e potencial para atraí-los (se não deixarmos cidades que têm avançado significativamente nos passarem a perna).

Patrocinadores não faltarão, pois será possível acomodar aqui marcas que não entraram na Copa e desejam atingir o seu público fora das arenas da FIFA/CBF.

Temos quatro sedes (Recife, Natal, Fortaleza e Salvador) num raio de mil quilômetros. Duas a menos de 300 quilômetros e com estradas duplicadas até aqui! Além disso, não faltarão aviões disponíveis para trazer “carradas” de europeus, americanos, asiáticos e africanos. O nosso aeroporto tem estrutura e plena disponibilidade para recebê-los.

O que nos falta?

NADA!

A não ser muita disposição, energia e criatividade para quebrar as barreiras de sempre.

Espero, sinceramente, que independente do sucesso do time de Felipão, a copa de 2014 seja um grande divisor de águas para o nosso grande evento, que tanto tem perdido nos últimos anos em termos de identidade e força cultural.

E Viva $ão João!!!

Um comentário:

William Sampaio disse...

Concordo plenamente, é só trabalhar.
William Sampaio